quinta-feira, 25 de agosto de 2011

E a barca vai

Catamarã,
vem de manhã
buscar um filho
meu.
Assim será, leviatã
a chegar bem nos
portos
seus.
Os homens sãos,
todos irmãos,
antecipam
um tardio
adeus.
Catamarã,
a luta vã
não sabe o que é
do coração.
Assim que é,
querendo ou não:
Rasga a baía
na contramão!
Se assim que é,
então vai ser
nesta rotina dos
filhos meus.

Catamarás, além do mais
a minha vida
foi dar adeus.


Fabiano Martins

4 comentários:

  1. Doído, sofrido e lamentado; não obstante, repleto, rico, ornado.

    Minha testa se franze toda vez que passo por aqui.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela visita e pelo carinhoso comentário!

    ResponderExcluir