quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Da socialização - Áudio

video

14 comentários:

  1. "Em frente ao mar não há tristezas, apenas recordações..."

    Realmente o mar tem essa nostalgia boa...

    Ficou lindo o áudio.Também gosto de ler poesias em voz alta.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. He escuchado la música de este precioso poema.

    ResponderExcluir
  3. Parole,
    Fico feliz que tenha gostado.
    Eu gostaria muito de ouvir alguma poesia recitada por você.
    bjs


    Elisabeth,
    Obrigado pela atenção e pelo carinhoso comentário.

    ResponderExcluir
  4. A ideia da "socialização", a lembrança da imensidão do mar, este veículo comunicativo que como um barco leva aos mais longínquos lugares a sua poesia e a voz do poeta que a recita como sopro de vento ao mar no final de tarde... Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Seu poema, recitado de maneira muito eficiente, recita o mar como um lugar onde saudade, ideais, esperanças,...tudo nele é depositado. Não tive como deixar de lembrar um poema lindíssimo do nosso virtuoso Fernando Pessoa.

    MAR PORTUGUÊS

    Ó mar salgado, quanto do teu sal
    São lágrimas de Portugal!
    Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
    Quantos filhos em vão rezaram!

    Quantas noivas ficaram por casar
    Para que fosses nosso, ó mar!
    Valeu a pena? Tudo vale a pena
    Se a alma não é pequena.

    Quem quere passar além do Bojador
    Tem que passar além da dor.
    Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
    Mas nele é que espelhou o céu.

    Fernando Pessoa


    Recordações, tristezas, alegrias, ...Tudo vale a pena, se a alma não é pequena!!

    Abraços fraternos!!!!

    ResponderExcluir
  6. Juliana,
    fico feliz que tenha gostado. Obrigado pelo construtivo comentário. bjs


    Marcell,
    Adoro esse poema! Vivo recitando esses versos. Que bom que falou deles. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Ficou bacana, diferente a elocução, o inconfundível sotaque carioca, reconhecível por quem vem de outros mares, outras ilhas, ilhas arredias à socialização. Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Ah, sim, mui belo o poema, linda homenagem ao mar.

    ResponderExcluir
  9. Eu lembro que me apaixonei pela imagem da oração transparente quando li esse seu poema...

    Ficou lindo na sua voz.. carioca? haha

    Grande abraço, amigo,

    Mima.

    ResponderExcluir
  10. Mariana,
    Obrigado pelo comentário! Estava curioso para saber o que você tinha achado, já que foi a partir da sua sugestão que fiz alguns ajustes importantes no blog. Abraço

    Mima,
    Carioca, sim. Mas, sobretudo, brasileiro.
    Pensei em postar o áudio pois é a minha interpretação. Quis dividir a maneira que eu ouço o poema. Fico feliz que tenha gostado.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Humm... saquei... Eu gostei porque ouvir a voz aproxima as pessoas. É como se a poesia recitada (mais do que apenas escrita) ecoasse dentro do coração - como os sussurros de alguém que está perto. E é bem o que a Mariana falou aí no comentário dela: pessoas que vem de outras ilhas (como eu, que estou numa terra tão tão distante da sua) conseguem se sentir mais perto.

    Beijo, poeta.

    Mima.

    ResponderExcluir
  12. Fabiano, seu blog se revelou um belo encontro com a poesia, do qual certamente virão muitas descobertas e surpresas. Este é apenas o começo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Que linda interpretação,Fabiano!
    Já disse Arnaldo Antunes... "O mar tem voz..."
    E a voz ecooou nas tuas rimas!!!
    Excelente ouvir-te daqui ,nesta que é
    arma(d-ilha?)nossa de socialização! ;)
    Sempre surpreendendo, este poeta!

    "O mar tem voz
    A voz é o ouvido do mar.
    Uma a
    uma, ondas,
    sua fala se desfaz,
    o mar,
    o mar faz
    calar." (Arnaldo Antunes)

    ResponderExcluir
  14. Jaci,
    Obrigado pela atenção do comentário. Não conhecia a citação, mas gostei. Fico feliz que tenha gostado de ouvir a poesia.
    bjs

    ResponderExcluir