quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Apé

Desejei a sua morte,
por entre os lençóis e falácias
de algum sentimento consorte.
Isso revela o meu íntimo.
Desejei que morresse
num grau ínfimo
de consciência, sem ver
ou vendo-me
aturdido pela total incoerência.
Mas nem sempre se pode
ser coeso ou coerente
no mundo posto à nossa frente.
Há pessoas que te derrubam com
ódio de tudo,
mesmo sem te conhecerem a fundo.
Cuidado com os perigos.
Sempre tenha cuidado,
ao que não se pode confiar na vigilância
divina e ser despreocupado.
Há que se fazer por onde,
mesmo não sabendo
como começar.
Começo e logo me perco.
Paro e recomeço a andar...
descalço.


Fabiano Martins

12 comentários:

  1. gracias por tus palabras de mi poesia ...feliz fin de semana.
    un abrazo
    Marina

    ResponderExcluir
  2. Descalçar-nos de tudo, recomeçar...porque não, não é?

    Gostei.

    ResponderExcluir
  3. já desejei a morte... num segundo mudei de ideia. culpa desse tal de amor.

    =)



    amei suas adjacências!

    ResponderExcluir
  4. Belo poema e muito reflexivo. Parabéns!!
    Bjinhos XD

    ResponderExcluir
  5. Marina,
    De nada! Obrigado pela visita.
    Abraço


    Soninha,
    Obrigado!


    Nicast,
    É preciso ter a consciência de que tudo que precisamos está dentro de nós. Obrigado pela visita.


    Fernands,
    Adorei sua sinceridade. O amor é mesmo uma coisa boa! Seja bem-vinda.


    Simone,
    Refletir é preciso! Obrigado pela visita.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá Famartan,

    O poeta tem estados de alma diversos. É normal.
    A vida e o amor são duas das setes maravilhas do mundo.
    As aprecie e se embriague nas duas.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  7. LUZ,
    Atrás da "onda" dessas tais maravilhas, sigo andando por aí.
    bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Retribuindo a sua vista e participação ao meu blog. Cara! Como eu tenho como tema focar a Dualidade Feliz/Infeliz, já estava tendo dificuldades para o lado Infeliz, e "apareceu" seu blog, com este lado, mais intimista re critico. Estamos juntos! Abraços!

    ResponderExcluir
  9. FelisJunior,
    Obrigado pela retribuição. Seja bem-vindo.
    Estamos juntos. Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Acho difícil ser coerente o tempo todo, pois somos um pouco razão e um pouco emoção...

    Os seus poemas são maravilhosos, Fabiano.Adoro te ler!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Parole,
    Concordo. Não dá pra ser coerente com tudo. Quase sempre o detalhe incoerente dita o rumo da vida das pessoas... as escolhas "erradas" que levam ao caminho certo.
    Obrigado, poetisa. Gosto muito de ler suas poesias; elas são inspiradoras!

    bjs

    ResponderExcluir