quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Conivência

Estamos numa casa
em algum lugar.
Há uma luz fria,
que se insere
por entre o
sereno do
fim da noite.

Respiro em seus ouvidos.
Você me diz sobre o caos
e as coincidências;
eu não acredito em nada disso,
mas sorrio.

Você, tão minha,
em meus braços,
simplesmente dorme.
A dor do mundo
acaba
frente ao consolo de outra
alma perdida.
Somos duas crianças ainda;
duas crianças da noite,
abraçadas em um quarto
de luz fria,
cobertos por pensamentos
e sentimentos tão psicologicamente
óbvios.

Aqui estou e cada segundo dura.
Daqui não vou. Desejo estar.
Silêncio faço, pois não quero te acordar.
Sinto que nem mesmo se quisesse
poderia.
Vejo seus cílios dos olhos e pele da boca.
Corpo torto; alma rota.
Não devo te acordar deste sono,
matenho você em meus braços
e a noite
passa.

Não me acorde também
deste sonho,
onde só posso contar contigo,
contra imensos obstáculos
e grandes amigos perdidos.
Ou então, me acorde
e mostre que na vida, tal como na guerra,
precisamos de aliados frente aos perigos,
e que frente aos perigosos inimigos
é preciso também ser
fera.

No entanto, o que desejo
é a ilusão desta madrugada.
Feito álcool, teu abraço entorpece; faz-me sentir mais vivo.
Todos os dias, há uma estrela que fenece;
e ao que o céu, lentamente, obscurece,
conivente, sigo eu a preservar
teu brilho.


Fabiano Martins.



Inspirado no epidósio "No Meio da Noite Numa Casa Escura em Algum Lugar do Mundo", do filme "Cenas de um casamento" - de Ingmar Bergman.

14 comentários:

  1. Lindo, profundo e muito bem escrito! Parabéns, adoro seu blog... compartilhei no meu Facebook. Espero que não veja problemas nisso, qualquer objeção me comunique! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Gisele,
    Muito obrigado pelo comentário e divulgação.
    Só posso agradecer e desejar que você volte sempre.
    Abraço!


    Jaci,
    Obrigado por ter lido.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Fábio, muito interessante essa poesia! Gostei! Parabéns! Beijos

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Renata!
    Seja bem-vinda.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. cara, eu me amarro em textos com estas doses incertas de mistério, realidade, sentimento e espanto....gostei pra caramba...se este for o teu estilo creio que meus pés me guiarão até aqui novamente...um grande abraço e parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Lindo...tem tanta verdade em cada verso! Muito, muito sensível...
    Um beijão!

    ResponderExcluir
  7. Will,
    Obrigado pelo comentário. Fico feliz de vê-lo por aqui. Volte sempre!
    Abraço


    Daniela,
    Obrigado. Seja bem-vinda!
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá Famartan,

    Lindo, intenso, poético!
    Segundo, que dura, sonho, que não esmorece.. Oh! o amor acontece.
    Não acorde, meu bem.

    Beijos de luz.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  9. Oi Luz,
    Obrigado pelos versos. Tentarei não acordar!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. preservar o brilho que faz brilhar o olho conivente!bonito!

    ResponderExcluir
  11. Olá Cynthia,
    Obrigado pela visita!
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Maravilhoso. Cada palavra, sentimento, sensação... combinam-se num doce amor. :)

    ResponderExcluir
  13. Obrigado, Mariana.
    Seja bem-vinda!
    bjs

    ResponderExcluir