segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Autonomia Parcial

Eu não conheço
meu inimigo.
Não sei
contra quem é
a briga.
A maré do
dia seguinte
enche
o oceano
de verdades
ambíguas.
Sou eu quem observa
o barco que me
leva ao longe;
Eu quem atravessa
a cidade.
Sou eu que faço
o meu receituário,
baseado nas minhas
necessidades.


Fabiano Martins

14 comentários:

  1. Oceano de águas ambíguas joga no litoral, um dia inevitavelmente, com uma enchente tsunâmica,toneladas de mentiras escondidas nos recônditos.

    Belo poema, meu caro!
    Saudações Tricolores!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Receite para mim um itinerário que me leve ao mar.

    ResponderExcluir
  3. Marcell,
    Haja Tsunami!
    Obrigado e votos de boa sorte nessa reta final!

    Doce Rachel,
    O mar é mesmo um bom lugar, não é?
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Si, mar, mar... adoro el mar. Un abrazo

    ResponderExcluir
  5. "A maré do dia enche o oceano de verdades ambíguas..." Forte isso!Abraço e ótimo 1/2 de semana!

    ResponderExcluir
  6. Olá querido, como vai?
    estou passando para fazer um pedido, se não for tomar muito o seu tempo, gostaria que entrasse no meu blog e desse uma olhada no post do Chiquinho, ele está precisando de ajuda e irá passar por uma cirurgia, espero contar com você! divulgue! - Muito bom o seu poema.. grande beijo!

    ResponderExcluir
  7. Lapislazuli,
    Sempre!
    Abraço

    Angela,
    Obrigado.
    Abraço

    Paula,
    Vou passar para ver o post.
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. "Sou eu quem observa o barco que me leva" leva-me barco, atrás do meu ser, quero lá chegar e tudo o que ganho, é o perder.

    Beijo. Gosto de te ler.

    ResponderExcluir
  9. MiM,
    Obrigado pelos versos. Aprender também implica em perder algumas coisas.
    bjs

    ResponderExcluir
  10. a briga.., compreenda... é consigo mesmo!!

    abraço

    ResponderExcluir
  11. Ana,
    Nossas maiores batalhas são as internas, não são?
    bjs

    Bruno,
    Obrigado por ter lido.
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Por vezes, nos falta a visão de que somos o nosso próprio inimigo.

    Muito bom te ler, amigo!

    Beijos,

    Nel

    ResponderExcluir