terça-feira, 14 de agosto de 2012

Coincidentes e ignorantes

Coincidimos nesta terra, ignorantes do amor,
a procurá-lo.
E, dentre tantos dias, coincidimos, ignorantes,
a desejar intempestivamente as estrelas - 
estrelas que não brilham,
que não são.
Pobres dos homens - entregues à sorte,
embebidos em tantas vontades
e sensações,
a coincidirem nos mesmos dias,
a saciar sua prole com erros iguais.
Pobres destes que se afastam,
que se admiram, que se enlevam.
Pobres mortais, que espreitam seu destino,
que temem a solidão - são fátuos pela dúvida de seu vaticínio, 
pois não sabem se viver 
será em vão.


Fabiano Martins

9 comentários:

  1. Buscar el destino no esperarlo
    Muy bello
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  2. Lapislazuli,
    Obrigado pelo comentário.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. É preciso rever a todo instante os nossos desejos, pois tudo aquilo que queremos nasceu de nossa alma e o UNIVERSO conspira a favor. Vigília, sempre...
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Passando pra deixar um beijo e desejar uma linda quinta feira.

    Ani

    http://cristalssp.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Malu,
    Obrigado por compartilhar isso.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Debemos buscar el destino, forjarlo nosotros mismos. Muy bueno. Un abrazo

    ResponderExcluir
  7. Hola.. muy interesante
    buenas vibras.

    ResponderExcluir
  8. Seremos sempre ignorantes até ao fim...e partiremos sem saber nada de nada!
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  9. Alma,
    Sim, devemos. Obrigado!

    Hbms,
    Obrigado.

    Graça,
    Infelizmente?
    bjs

    ResponderExcluir