quarta-feira, 6 de outubro de 2010

leiame

Parado observo o tempo passar
Cigarro para observar
Ver o que atrás da fumaça
Branca e cinza que espaça
Solta no ar a girar
Toca o fio suspenso
Num momento propenso
Em que muito atento
Para observar

Um fio que flui
além da fumaça
Eu vejo no tempo
Não dá pra negar
A verdade se esgarça
É a lei da trapaça
Transporta meu grito
Me volta a te andar

É o trilho do trinco
trancando a porta
Entrega teu brinco
Meu peito comporta
O dia em que brinco
Me assalta eminente
Vem como brilho
numa manhã contente


Mas o desejo latente
pulsando na veia
Fez correrem feridas
Tal qual as vidas
se ateavam na areia



Fabiano Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário